quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Tempos de crise

Conversa entre vizinhas.
— Bom dia.
— Bom dia.
— Tem ovos?
— Não sei, hoje ainda não fui ao galinheiro. 
— Precisava...
— Agora para o almoço?
— Sim.
— Então vamos lá ver.
— Vamos lá!

Descem até ao galinheiro.
— Já tinha vindo aqui?
— Não, nunca.
— É aqui que as crio.
— Pensava que tivesse mais galinhas.
— Já tive, mas dão muito trabalho...
— Aquela é maior porquê?
— É galo...
— Ah... E põe ovos maiores?
— O galo?!
— Sim.
— Não foi feito para isso!
— Ah, claro, que disparate!
— Distração....
— Pois.

A proprietária acerca-se do ninho das galinhas poedeiras.
— Há ovos.
— Que bom!
— Quantos quer?
— Meia duzinha...
— Arranja-se.
— Vou fazer uma omelete. 
— Estes são ótimos.
— Com ovos caseiros faz-se uma refeição boa e barata.
— Sem dúvida.
— A sua produçãozinha dá uma boa ajuda.
— Dá mesmo.
— Dá para si e ainda vende barato aos vizinhos.
— Bom para todos.
— Tempos de crise... está complicado...
— Muito.
— E a situação está cada dia pior.
— Está mesmo.
— Mas nós ainda nos vamos aguentando sem grandes sacrifícios.
— Graças a deus.
— Já há muita gente em situação delicada.
— Infelizmente.
— Cada vez mais gente a ferrar o cão.
— Imagino.
— Olhe, vou andando. Depois pago-lhe os ovos, está bem? 

Sem comentários:

Enviar um comentário