quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Imaginação e sensibilidade


«Nas mulheres, a imaginação e 
a sensibilidade sobrelevam a lógica»
Marie de Vichy-Chambord

Diálogo entre duas amigas num fim de tarde em frente ao mar:
— que bom estar aqui
— e ter um homem em casa
— que vai buscar as crianças ao infantário
— e dá-lhes banho
— e a sopinha
— e deita-as para dormir
— e prepara um bom jantar
— e um banho de sais com espuma
— e dá-me banho
— e comemos
— e volta a dar-me banho

«Outro banho?!», pensa a amiga com ar de intrigada. Diz «ah, sim!» e prossegue:
— e jantamos
— e arruma a cozinha
— e chama-me para dançar Cheek to Cheek
— e recita a Elegia XIX de John Donne
— e massageia-me antes de dormir
— e acorda mais cedo
— e prepara o pequeno-almoço
— com crepes caseiros e sumo de laranja espremida
— e leva o pequeno-almoço à cama
— e acorda-me com um beijo
— e desperta as crianças
— e dá-lhes banho
— e o pequeno-almoço
— e leva-as para a escola

Ficam alguns segundos em silêncio.
— o teu homem é assim?
— não, e o teu?
— também não
— achas que há algum homem assim?
— acho que não
— pois...
— está na hora de irmos buscar as crianças!

4 comentários:

  1. Também não é preciso exagerar, alguma coisa há de ficar para nós.
    Talvez uma vez por ano, como prenda de anos ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas esta sensibilidade imaginativa envolveria dois dias... :)

      Eliminar
  2. Tal como a amiga dela, também eu estava intrigada! ;)

    ResponderEliminar