quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

O T

Quando ele nasceu não houve quem ousasse arriscar que aquele garoto pudesse vir a dar grande homem, tal o seu reduzido tamanho à nascença — mesmo cumpridos a preceito os nove meses de gestação. Armindo foi o seu nome de registo, mas desde o primeiro instante foi por todos tratado por Mindinho.

As previsões não enganaram: o Mindinho veio, de facto, a revelar-se um homem de muito baixa estatura. Na vertical.

Apesar da estatura nada condizente com os normais — e muito preconceituosos — padrões de boa dotação para o galanteio, atingida a idade adulta — talvez mesmo antes, mas evitemos insinuações de teor pedófilo — o Mindinho veio a revelar-se um sujeito com enorme sucesso entre as mulheres. Avesso a poiso certo, foi espalhando o seu encanto pelos quatro cantos — e muitas camas — da região. Uma aqui, outra ali, sem qualquer impedimento de simultaneidade temporal, muitas mulheres lhe fizeram a corte, mas nenhuma logrou conduzi-lo ao altar. Filhos não teve. Que ele soubesse.

Ainda com perspetiva de muita vida pela frente o Mindinho morreu. Inesperadamente. E, como será fácil de prever, ao seu funeral compareceu um considerável número de mulheres tristes. Algumas com cara de viúva, apesar do Mindinho nunca se ter casado, como já foi dito. Todas elas em estado muito choroso e nos mais diversos estados civis: solteiras, casadas, divorciadas e umas quantas efetivamente viúvas — não do Mindinho, claro. Todas lhe deixaram belíssimos buquês e bilhetinhos a acompanhá-los com palavras de apreço e sentido pesar, muito lamentando a sua partida.

Cumprido o ritual do enterro, os amigos mais chegados recolheram os bilhetinhos. Bastante lhes chamou a atenção a forma como muitas delas apodaram o Mindinho nas dedicatórias: algumas como «Mindinho T», outras como «meu T» e umas quantas até como «meu Tesinho»!

Os amigos ficaram intrigados. Suspeitaram que houvesse no Mindinho algum avantajado predicado de cuja existência eles nunca tinham sequer desconfiado. E ficaram a pensar em como os homens não se medem aos palmos. No mínimo, haverá que considerá-los em todas as direções!

Sem comentários:

Enviar um comentário