domingo, 16 de agosto de 2015

Sorte política

Todos os anos, nesta época, multiplicam-se nos órgãos de comunicação social as chamadas para uma tal de rentrée política. É certo que os tempos são de crise e empregar tradutores competentes é uma coisa que sai cara, mas neste caso, uma simples entrada no Google Tradutor resolveria bem o problema: regresso, retorno, reentrada...

Também é certo que o uso faz a língua e, no caso em questão, o dicionário da Priberam até considera a tal rentrée como bom português. Só não esclarece como se deve ler a palavra: deverá ser rentré (à portuguesa), rantrê (foneticamente mais próxima do françês) ou mesmo rantrrê (com o segundo r bem carregado) como no francês? Aqui deixo as minhas dúvidas.

Sem dúvida: com os protagonistas que temos tido, todos os anos aguardo ansiosamente, não pelos dias das rentrées, mas pelo dia de uma grande sortie. E desde já aqui deixo a minha sugestão para uma boa tradução dessa hipotética — talvez não mais do que isso, infelizmente — sortie política: sorte política! Eu sei que a tradução está longe de ser literal, mas ao nível do conteúdo, duvido que haja melhor.